Dicas

NaNoWriMo 2021- O desafio de escrever 50 mil palavras em um mês.

National Novel Writing Month, ou como é conhecido: NanoWriMo, traduzido literalmente para Mês Nacional de Escrita (de uma Novel). É um evento anual com o objetivo de produzir uma história de cinquenta mil palavras dentro de trinta dias, iniciando no primeiro dia de novembro, com a possibilidade de ter sua obra publicada por uma das editoras parceiras, são, em média, 1.667 palavras por dia que, ao final, resultarão em cerca de 175 páginas, a participação é livre, e não há restrições quanto a gênero, tema, idioma ou estrutura da obra. Só precisa ser uma ficção. Apesar da referência a uma nacionalidade específica, o evento envolve pessoas do mundo todo. A iniciativa é bancada por doações e promovida pela organização sem fins lucrativos de mesmo nome. Durante o mês, os participantes podem entrar no site para controlar a quantidade de palavras já escritas e que ainda precisam escrever, contando com as funcionalidades disponíveis que incluem um gráfico do progresso, a média sugerida de palavras por dia e a quantidade de palavras por dia necessárias para alcançar a meta de acordo com o seu progresso, os participantes ganham também emblemas a cada conquista realizada, o que parece um pouco como um jogo e isso dá um incentivo a mais para escrever, a plataforma nos ajuda a criar o hábito de escrever diariamente e é muito intuitiva, esse ano ela abriu a possibilidade de participar do camp antecipadamente nos meses de abril e junho. O NaNo, que começou nos Estados Unidos, em 1999, é para todos aqueles que sempre deixam para depois a escrita de um bom texto literário. Apesar de o desafio focar muito mais na quantidade do que na qualidade, ele é uma boa forma de começar. Por isso, em novembro vai surgir no papel aquela história que você sempre quis contar, ou até mesmo aqueles pensamentos que você deseja expressar. A única preocupação é: escrever, escrever, escrever. Para alcançar essa meta, que é bem ousada para quem tem a agenda lotada de compromissos profissionais e pessoais, disciplina e planejamento são essenciais! Planejar o que você vai escrever evita bloqueios, e ajuda a manter o foco apenas na escrita, durante os 30 dias. O ideal é ter claro, desde o começo, como é o livro que você pretende escrever para não gastar tempo tentando encontrar o rumo.

Acesse o site do NaNoWriMo e se registre, embora esteja em inglês, ele é aberto ao mundo todo e a todos os gêneros de escrita.

Livros que foram escritos durante o evento:

Limbo, do brasileiro Thiago D’Evecque.

O Circo da Noite, de Erin Morgenstern, foi escrito em 3 novembros.

Água para Elefantes, de Sara Gruen, teve tanto sucesso que foi adaptado para filme.

Fangirl, de Rainbow Rowell. Apesar de já ter publicado outros livros antes, Rowell estava bem cética sobre escrever um livro em 30 dias. Mas decidiu tentar e acabou produzindo boa parte do livro durante o evento.

Silo, de Hugh Howey. O livro já possui mais 2 sequências (“Ordem” e “Legado”). O autor afirma que o NaNoWriMo foi a melhor coisa que aconteceu a ele enquanto escritor.

Cinder, Scarlett e Cress, de Marissa Meyer. Sim! 3 livros da série “Crônicas Lunares” foram escritos durante o evento.

Promoted Post

Sponsored Post Learn from the experts: Create a successful blog with our brand new courseThe WordPress.com Blog

WordPress.com is excited to announce our newest offering: a course just for beginning bloggers where you’ll learn everything you need to know about blogging from the most trusted experts in the industry. We have helped millions of blogs get up and running, we know what works, and we want you to to know everything we know. This course provides all the fundamental skills and inspiration you need to get your blog started, an interactive community forum, and content updated annually.

poemas

Não é não – Josielma Ramos

A minha roupa não é um convite,
Se uso saia curta, você não é obrigado a olhar! Não consegue se controlar?

O meu sorriso não é um convite,
Se exalo simpatia, não quer dizer que você pode me cantar! Ser simpática é questão de educação, a sua mãe não lhe deu não?

A minha dança não é um convite,
Se danço quietinha ou rebolo até o chão, não é pra sensualizar e atrair sua atenção,  eu danço para me divertir, para me libertar!

O meu corpo não é um convite,
O corpo é meu templo, não permito a entrada de qualquer um, ainda mais sem aviso, se não lhe dei permissão, então não vem metendo a mão, não importa se é um toque no cabelo, na cintura ou minha bunda, você não tem autorização!

A minha maquiagem não é um convite,
Se passo batom vermelho, é pra me olhar no espelho, e ver a mulher que eu lutei pra me tornar, aceito seu elogio, mas não tente o meu batom borrar!

A forma que eu me porto que eu te olho, não é um convite,
Se eu falo alto, sorrio, e rio das suas piadas, talvez seja porque te achei divertido, e ainda assim não significa que de você eu esteja afim, se olho em seu olhos, é porque minha mãe me ensinou assim, que pessoas sinceras conversam olhando nos olhos.

Se eu digo que não quero, que não to afim, é exatamente assim!
Não há nada escondido sob o que eu digo, não to fazendo charme e nem de difícil,
Dizer não, não é um convite a sua insistência.

Podcasts

PodEscrever! com Josielma Ramos | Meu novo Podcast

Photo by 𝙹𝚘 𝚁𝚊𝚖𝚘𝚜 in Santana de Parnaíba. May be an image of 1 person and text that says 'PodEscrever! COM JOSIELMA RAMOS M Disponível nas plataformas: Rp O....'.

Olá pessoas, vim contar uma novidade para vocês, é o meu novo Podcast o PodEscrever! dísponivel nas seguintes plataformas:

@anchor.fm
@spotifybrasil
@googlepodcast
@breakeraudio
@pocketcasts
@radio_public

Quase todo o conteúdo desse blog se tornará material para o meu podcast, além de nele eu trazer diversas dicas de escrita criativa, falar de livros e poesia, estão tão animados quanto eu estou? Sou nova nesse universo, então espero poder transmitir ao máximo todos os meus conhecimentos a vocês.

Já lancei dois episódios, vão lá conferir, espero que gostem.

O podcast irá ao ar uma vez na semana, toda segunda feira, então fiquem ligadinhos nos links que passei a cima, e indiquem para os amigos.

Dicas

Oficina de escrita criativa: 5 pontos de partida de como começar a escrever enquanto a inspiração não vem! – Josielma Ramos

No fim do ano passado, meus amigos do espaço cultural Mudar Exige Coragem, me pediram para ministrar uma oficina de escrita criativa, a verdade é que nunca realizei nada do tipo além de palestras em escolas, então pesquisando um pouco sobre e assistindo diversos vídeos e usando algumas das dicas que já postei aqui no blog, criei uma oficina sobre como escrever quando estamos sem inspiração nenhuma.

Então abaixo estão as dicas passo a passo como passado na oficina, espero que sejam úteis a vocês, não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Como começar?

Escreva! Parece óbvio, mas de fato para começar você deve escrever, se forçar nem que seja por alguns minutos, não precisa ser algo bom, o bom vem da prática e com o tempo.

Inspiração, o que é?

São idéias que “surgem do nada”, mas não devemos ficar presos a isso, pois muitas vezes temos um bloqueio criativo, que impede que essas idéias caiam do céu no papel, então o que fazer nesses casos? Quero escrever, mas não tenho inspiração.

Criatividade é 1% inspiração e 99% transpiração

“Inspiração existe, mas ela precisa te encontrar trabalhando.” (Pablo Picasso)

E é aqui que eu vou repetir o que já está lá em cima, se você não se obrigar a escrever nunca vai encontrar a inspiração que procura a melhor dica a se seguir é escrever um pouquinho todos os dias.

Pensando nisso, criei essa oficina para ensinar como ver idéias em qualquer lugar.

Cinco pontos de partida de como começar a escrever enquanto a inspiração não vem!

1 – TEMA

Pensar em um assunto que nos inquieta, que nos desperta, uma curiosidade, tema não é o assunto, mas uma questão que move a história, para qual a história serve de metáfora.

EX: Preconceito nas redes sociais.

Isso não é uma história por si só, mas é um assunto sobre o qual eu vejo muito sempre que entro no facebook, instagram ou twitter.

Agora que tenho o tema, posso desenvolver a história a partir dali.

Pensar em uma narrativa

Um personagem sofre preconceito.

Ou um personagem que seja preconceituoso.

Um tema pode abrir muitos caminhos, isso não vai te limitar.

Você quer que sua história tenha o que? Critica social? Como você vai fazer isso? Onde buscar, onde pesquisar?

Você quer escrever sobre algum clichê romântico, drama, terror ou poesia?

Decidir e partir daí.

2 – FORMA

Pensar em um formato gráfico do texto, uma forma alternativa, diferente do que estamos habituados a ver nos livros.

Um exemplo é colocar uma limitação e se obrigar a fazer escolhas, por exemplo, há um livro francês chamado La disparation de Geoges Perec, o autor se limitou a escrever o livro todo sem a letra “E”, que no francês é equivalente a letra “A” no português, já imaginou escrever um livro inteiro sem a letra “A”?

3 – PERSONAGEM

Vasculhar seu arquivo mental, pensar em todas as pessoas que vocês viram hoje, pensar em todas as manias, fazer uma colagem de características dessas pessoas e ver se não surge uma pessoa nova que seja interessante a ponto de te dar vontade de escrever sobre ela.

4 – PLOT

Um Plot é um enredo mínimo, ele resume o núcleo da história.

EX: E se um homem acorda um dia e descobre que virou uma barata?

Desse plot, surgiu o livro, A metamorfose de Franz Kafka. Podemos pensar em mini-enredos antes de criar a história em si.

5 – ATUALIZAÇÃO

Buscar uma lenda, um clássico, ou uma tradição e contar ela nos tempos atuais, oi em outro universo.

Vamos desconstruir o mito de falta de inspiração

Exercícios de escrita divididos em cinco partes

1 – Tente pensar em um tema, seja qual for, preencher pelo menos uma página de folha de um caderno, anotando a sinopse de uma história.

2 – Fazer uma segunda história, em um formato diferente, que história poderia ser colocada nesse formato?

EX: Uma nota de jornal

      Um post de facebook

      Uma conversa de chat

3 – Criar um personagem, imagine 5 características internas de uma pessoa, gostos, humor, medos, ansiedades, manias, tiques, etc… Depois imagine 5 características físicas dessa pessoa, baixo, alto, manca de uma perna? Cor dos olhos, tem mau hálito?

Escrever um texto corrido sobre essa pessoa usando essas características.

Dê vida a seu personagem!

4 – Criar um Plot para escrever seu enredo.

EX: Um homem ou uma mulher acordou certo dia e… O que aconteceu a seguir? A partir desse plot, criar um conto de pelo menos uma página.

5 – Escolher um mito, história infantil ou lenda e criar um contexto para atualizar a história.

EX: Chapeuzinho vermelho em um condomínio de luxo.

      Cinderela em tempos contemporâneos.

Escolha o tema a atualizar o contexto para qual vai ser levada e veja as idéias que isso oferece a escrever.

Fazendo esses 5 exercícios você já terá 5 caminhos para iniciar sua história se estiver sem inspiração.

ESBOÇO DE ENREDO

Exposição:

um ambiente, um quarto, um restaurante, um parque.

Conflito:

Medo, paranóia.

Ação crescente:

Algo machuca o personagem.

Clímax:

Ele acha que vai se livrar, sensação de alivio.

Queda:

Ele percebe que não está livre ainda.

Resolução:

Uma descoberta, algo surge que traz uma reviravolta.

TÓPICOS DE ESCRITA

– Transformar uma situação comum em algo incomum, algo horripilante.

– Situações que mais te assustam ou te revoltam.

– Usar uma situação para limitar ou encurralar o personagem.

– Quais conflitos mais assustam você, aborde na sua história.

ESTRUTURA EM TRÊS ATOS

Ato 1 – Começo

Situar o leitor!

Onde a história se passa?

Em que tempo?

Quem é o personagem?

Como é um dia comum para ele?

O que ele faz da vida?

– Apresentar um acontecimento.

Ato 2 – Meio

Adversidades

Provocações

O personagem chega ao fundo do poço, e isso vai revelar sua verdadeira natureza, o fazendo crescer e se descobrir.

Ato 3 – Fim

Ele enfrenta seu maior obstáculo para chegar ao final feliz… Ou não.

Depois que acaba o que aconteceu?

Como o personagem está?

Como é o novo estado de normalidade dele?

Então é isso, espero que as dicas tenham sido úteis, deixem nos comentários o que você achou, e que dicas gostaria de ver por aqui.

poemas

Casulo – Josielma Ramos

Dentro de cada uma de nós, há uma mulher que grita aprisionada,

Ela é uma mulher moderna, culta, esperta e dona de si,

Uma mulher que se conhece, que é plena e feliz,

Mas a mantemos presa, escondida, lá no fundo, bem no fundo de nós,

E a mulher aqui de fora, tão calada, tímida e medrosa, a esconde ferozmente,

Mas com empatia e amor, ela está pronta para crescer, a Borboleta-mulher quer nascer,

Que possamos com orgulho do casulo surgir.

poemas

Deusa mãe – Josielma Ramos

Sou mãe!
Agora sou sagrada
Nascida da terra
Deus salve meu ventre
Rainha da fertilidade
 
Adeus vida sexual ativa
Olá noites mal dormidas.
 
Sou rainha, deusa mãe
Geradora da vida
Agora todos me olham esquisito quando a criança faz birra.
 
Não soube educar
Deixa fazer o que quer.
 
Agora sou rainha
Eu que mando nessa cozinha
Governo a sala de estar, metrópole da guerra das bonecas contra os dinossauros.
 
Lidero a convenção das máquinas de lavar
Contra a revolução das fraldas encardidas.
 
Agora sou mãe, governante da maternidade, onde toda população tem direito a voto
Pois todos parecem saber o que é o melhor para o seu filho, menos você.
poemas

Girassol – Josielma Ramos

Você nunca vai saber o quanto de dor me causou, 
Eu nunca falei e agora tanto faz, 
Não importa mais, talvez seja tarde demais.

Uma parte de mim morreu no dia que você partiu, 
Eu chorei desesperadamente no meio da noite, 
Eu tive raiva, 
Tive remorso, 
Tive rancor, 
Você foi e me deixou.

Me deixou magoada, deprimida e assustada, 
Com uma dor que jamais será curada.

Eu nunca poderei lhe dizer tudo que me angustiava, 
O que sinto, 
O quanto o amava, 
Como sinto muito por tudo e como o odiava.

A verdade é que eu sou como um girassol, lembra?

Você pode me escutar, de onde você está?
Ainda tenho tanto a dizer,
Mas agora é tarde,
Porque esperamos até que seja tarde demais?

O que me resta é escrever até meus dedos  sangrarem, 
Meus pulsos doerem e meus olhos chorarem.

O que me resta é acreditar no pós morte, 
Na esperança de um dia ainda encontra-lo.

Você me fez tão mal…
Tão triste…
Mas ainda assim havia em mim, um sentimento de cuidado e carinho.

Eu queria te proteger,
Não sabia de quê,
Não tinha ideia que você era seu maior perigo.

Eu queria cuidar de você,
Mas fui egoísta e só pensei em mim,
Eu tive tanto medo de você.

Me perdoe!
Agora é tarde demais
Como posso lhe dizer adeus?

[Em memória de Guilherme Almeida, meu primeiro amor e meu primeiro coração partido]

Dicas

3 Dicas para autores iniciantes que vão ajudar no processo criativo.

Para quem devo escrever? O que devo escrever? Como devo escrever? Essas são perguntas que eu costumava me fazer, e acredito que muitos escritores iniciantes se fazem também, e eram exatamente essas perguntas que empacavam meu processo criativo, hoje claramente tenho resposta para elas, e é sobre isso que iremos falar nesse post.

Para quem escrever?

Como autores escrevermos porque queremos ser lidos, mas a dica que dou aqui é, nunca escreva pensando num público alvo em mente, claro que depois da obra pronta você deve ter um público alvo, mas no momento da escrita se você ficar focando muito no seu público, querendo agradar a todos os gostos, pode ser que você não seja fiel a sua escrita, se limite e não escreva tudo que vem a sua mente, então de cara a dica é, não escreva para ninguém especifico, escreva o que você gostaria de ler e só depois de terminado, releia e veja o que se pode ser aproveitado ou não.

O que devo escrever?

Muitas vezes quando se trata de iniciar como autor nos surge a dúvida de sobre o que escrever, eu particularmente escrevo poesia e esse é um assunto que domino, mas também escrevo terror, e esse foi um gênero um pouco mais difícil de dominar, por mais que eu ame histórias e filmes de terror, eu não queria que nada do que eu fizesse parecesse uma cópia mal feita de alguém, então o que escrever pode ser um ponto complicado se você tem muitas dúvidas, mas o que eu sugiro aqui é que você escreva sobre o que você gosta, sobre o que você entende, e não precisa entender completamente o assunto, você pode estudar e pesquisar.

Como devo escrever?

Essa é uma pergunta que eu me faço muitas vezes, eu acredito que escrever devia ser como um trabalho, você deve tirar algumas horas fixas do seu dia para isso e só se levantar da mesa depois que tenha escrito alguma coisa, mas eu não faço isso, sou o tipo de escritora que espera a inspiração surgir e olha que ela surge nas horas que estou mais despreparada, e tenho que sair como louca atrás de uma caneta e papel para anotar, mas é aquela história né, faça o que eu digo, não faça o que eu faço!

(Inclusive dica bônus: sempre tenha caneta e papel na bolsa)

Escrever deve ser um momento prazeroso, de ligação consigo mesmo, porque você quer ser autor? O que te motiva? Use tudo isso a seu favor e seja feliz fazendo o que você ama, não é um caminho fácil de trilhar quando se pensa em seguir profissionalmente, mas é um caminho lindo!

poemas

Deixe a vida contar a poesia do tempo – Josielma Ramos

As manhãs são para o café
E as tardes para a poesia
Não me pergunte sobre as noites
Elas não são minhas.

A noite guarda segredos
Eu não poderia dizê-los
Mas se você insiste
Não fique triste
Com o que revelarei.

Ah as noites
Elas foram feitas para a nostalgia
As noites não são de ninguém
São da boemia
Livres e rebeldes
Correm soltas por ai
Elas não se apaixonam
Não se importam com ninguém.

As noites são feitas para as fugas
Feitas para as sombras
Feitas para as festas
E para quem quer se esconder
Se esconder de ser você.

Elas passam devagarinho
São cheias de fogo e desejo
As noites são dos amantes
As noites são de segredos
As noites são de amores
São de encontros e reencontros.

projetos

Oficina de escrita criativa – Casa das Pretas

Ontem dia 12/12 aconteceu a Oficina de escrita criativa no espaço cultural Mudar exige coragem, no centro histórico de Santana de Parnaíba, onde fui convidada a ministrar a oficina, foi um encontro lindo e uma troca de ideias prazerosa, expliquei um pouco sobre o que se fazer quando falta inspiração e os caminhos que podemos recorrer na falta dela.

A casa das pretas é um projeto Criado pela Leila Santos junto com a Cíntia Sales e tem o intuito de trazer oficinas abertas ao público e montar um rede de mulheres afro empreendedoras, nesse mês de dezembro acontecerá várias atividades artísticas no espaço, para ficar por dentro de tudo, basta seguir a página do Mudar exige coragem no instagram: @mudar_exige_coragem